11 de fevereiro de 2012

(8{> - Num voltei, não

Hoje andei dando uma geral e achei alguns cacos dos meus blogs espalhados por aí. Tem um pouco no Blig - que foi donde comecei com essa unha encravada - alguma coisa no Blogger.Br (Globo.com) - que na época do meu blog mais importante, detonou quase tudo por pura incompetência, um pouquinho no Uol, do qual fugi rapidinho e os últimos posts do Blogbrasil, que deixamos morrer de peste bloguenta. Entonces, como sou doido de uivar pra lua, vou tentar reunir o máximo de pedacinhos que conseguir e trazer tudo pra cá.
Quem conhece(u) sabe que o mais importante nos meus blogs são os comentários, onde sempre rolou a maior zona. O pobrema é que, nem que a lua uive pra mim, uma recuperação dos condenados é tarefa impossível. Alguns posts chegaram a ter 800 comentários - Acredite se quiser, Jack Palance, ou Vladimir Palahniuk, como queiram...
Infelizmente, a fase áurea dos blogs já passou, portanto, não tenho a menor pretensão de achar que as pessoas vão passar por aqui e ficar um tempão futucando o velho sarcófago. Mas, já que sempre fui mascarado (literalmente), lembro da insistência de uma jornalista da ISTO É, que queria de todo jeito fazer uma entrevista comigo. Depois que eu neguei várias vezes, alegando que só daria a dita se ela não publicasse uma foto e nem o meu nome, ela saiu com essa: "Então, você não quer ficar para a posteridade?"
Os egípcios antigos acreditavam que seriam imortais enquanto seus nomes fossem lembrados. É isso. Eu, Matusalem Matusca I - O Médio. Descendente de Ramsés II - O Grande, quero ficar para a posteridade, nem que seja num cartucho com o meu nome desenhado num banheiro da rodoviária de Varre-Sai
P.S. Não sou uma múmia muito enrustida não. Os mais chegados sabem o meu nome e alguns até guardam uma foto minha no açucareiro.

27 de fevereiro de 2004

(8{> - Pirâmide Nova

Outra vez, múmia caduca?
É, estrupício!

E agora eu juro que é até que a morte nos separe outra vez. Do blog, claro.
Quem tem link pro Sarcófago, por favor, atualize mais uma vez.
Quem não tem, pode deixar como está.
Os outros, sei lá!
(8{>

18 de fevereiro de 2004

(8{> - Extra é supermercado:


Acho que ninguém está agüentando mais esse troço de edição extra toda hora.
É que a gente precisou tascar a Vênus Platinada desvirginada, e o Extra (jornal), também é deles.

Quem diria que ainda íamos sentir falta do Dr. Roberto Azulzinho - aquele que foi enterrado com um celular da VIVO. Pô! Todo aquele trabalhão pra depois não usar? Nem pra dar um esporro nos incompetentes que deixou aqui?
Sei não, acho que a bateria não agüentou aquele calor todo.
Bom, vamos ao que interessa, senão fico aqui o dia todo escrevendo sobre almas penadas.

Saquié: resolvi dar uma caprichada no loguinho do Blog Brasil. E acho que está ficando bacaninha (ê modestia!).
Espero que vocês gostem. Quem pichar já sabe: O Blog Brasil é uma comunidade tão democrática quanto Cuba.
Vacilou com o velhinho - paredão.


15 de fevereiro de 2004



(8{> Matusca I - O Grande.

Quando fiz a edição extra d’OSarcófago, aí de baixo, já imaginava que a coisa estava ficando feia lá pros lados do Blogger.br. Ainda mantinha alguma esperança que eu só havia sido tascado por ser uma múmia popstar. Sacumé, eles odeiam concorrência. Principalmente o Cid Morangueira - a múmia mais antiga do acervo global.

Eu, como qualquer mortal (sic), adoro ser o primeiro. O pobrema, nesse caso, foi ser o primeiro a ser expulso do elenco do Kubarracão.

Até comentei por aí que eles estavam mais perdidos do que barata em tiroteio de dedetizadores.

Estava certo. Não satisfeitos em remover o meu sarcófago, os infelizes resolveram complicar a vida de todo mundo. O pior eu não previ: Eles bloquearem, sem qualquer aviso antecipado, o acesso do exterior. E, como todo imperador que se preza, decretaram: “Agora é assim e tá acabado”.

Fiquei preocupado com os brasileiros que moram lá fora que, de repente, estão sendo tratados como figurantes dessa novela nojenta. Pensei até fazer uma campanha pedindo aos amigos para arrumar um jeitinho de salvar os blogs deles.
Acho que não vai ser necessário.
O Fábio, mais uma vez provando que é o nosso melhor ponta-de-lança, enfiado entre os zagueiros de Noviorque, já publicou uma solução para os companheiros deserdados. Vejam lá no Caryorker.
Ele avisa que é como dar novalgina pra febre. Mas, pelo menos tá mais preocupado que o médico que entregou o paciente pros abutres.

Bom, já que eu entreguei que gosto de ser sempre o primeiro da fila - vantagens de usar sempre o guichê pra gente com mais de 3.000 anos - estou com as ataduras coçando pra dizer que sou também o primeiro aqui, no Blog Brasil.

Outro aviso: O sistema/site ainda está em testes e não sabemos se é estável e confiável. O loguinho que eu fiz pro Blog Brasil não é teste. É ruim mermo.
Desculpe, Fábio, coceira em pele enrugada é um caso muito sério.

Quando tiver tudo arrumadinho lá, vou pedir aos companheiros para trocar novamente os “links”. Nada demais, eu só dou esse trabalhinho pra vocês uma vez por semana. E quem quiser aproveitar pra detonar o link pro sarcófago na encolha, a hora é essa.

Cara consulente, se um algum link lhe dói, faça como gente das melhores famílias. Delete a praga bem quietinha. De outra maneira corre o risco de acontecer o que não queria: Aumentar o prestígio do deletado.

Atualização:

Mais um parceiro resolveu ajudar quem está precisando salvar os arquivos do naufrágio do blogger.br. O Ivan, do Mundo no Ar, publicou um tutorial.

Pelo jeito esse troço serviu para dar uma sacudida nas teias da rede. E mostrar o que a gente já sabia: O melhor da Internet é mesmo a solidariedade dos companheiros.

Atualização atualizada:

Rapá! Esqueci!
Vocês podem não acreditar. No entanto, quem acompanha esse velório há muito tempo deve lembrar. Eu fui o primeiro e único - que eu saiba - a ser expulso dos favoritos do
No Mínimo.
Até hoje não entendi muito bem. Quero acreditar que foi porque logo depois da indicação troquei de endereço. Do Blig para o Blogger.br

É claro que não pode ter sido porque eu falei pro Pedro Doria que ia acionar o meu advogado - o doutor Ruy Barbosa.
Mereço ou não o título de Matusca I ?

11 de fevereiro de 2004



(8{> - Novela Blogger.br.

Depois de quase quinze dias sendo solenemente ignorado pelo suporte do Blogger, resolvi enviar nova reclamação. Ontem, alguém resolveu dar alguma satisfação. Que, se não satisfaz, pelo menos demonstra como eles trabalham. Aí está:

De:
Enviada em: quarta-feira, 10 de fevereiro de 2004 22:15
Para: cc.sem.sup [mailto:cc.sem.sup@globo.com]
Assunto: Blogger

Apesar dos senhores não terem respondido minha solitação, ainda estou interessado em saber porque não consigo publicar, republicar e nem enviar imagens para os meus blogs no Blogger. E muito menos criar um blog novo.
Muito interessante isto começar a acontecer após ter feito minha assinatura no Globo.com. Se o problema é esse, vou considerar cancelar a minha assinatura. Tenho certeza que não violei nenhuma regra do Blogger.br. E pensava merecer alguma consideração. Ou pelo menos uma resposta.
Atenciosamente.

-----------------------------

De: cc.sem.sup [mailto:cc.sem.sup@globo.com]
Enviada em: quarta-feira, 11 de fevereiro de 2004 00:45
Para:
Assunto: Ref. Suporte via e-mail

Prezado Sr.

Informamos que não encontramos nenhuma irregularidade no serviço do Blogger,
pedimos que detalhe qual a mensagem do erro que apresenta juntamente com endereço do seu Blogger. Lembrando que os Blogger antigos devem ser atualizados com freqüência, pois após 60 dias sem atualização, o mesmo é cancelado.

Agradecemos o seu contato e estamos à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Atenciosamente,
Diomedes Antonio Tedesco Júnior
Equipe de Atendimento Globo.com

-----------------------------

Senhor Diomedes,

Eu mantinha quatro blogs no Blogger:

www.matusca.blogger.com.br
www.matumatu.blogger.com.br
www.osarcofago.blogger.com.br
www.flashblog.blogger.com.br

Nenhum sem atualização há mais de sessenta dias.
Todos apresentaram erro 404 - endereço não existente - no mesmo dia, 28/01. Após esta data, consigo acessar a área de edição do programa e os blogs estão lá, ativos, com os templates vazios. E todas às minhas imagens hospedadas até então não estão mais disponíveis.

Qualquer atualização que eu tento fazer é aceita. Porém, quando tento publicar ou republicar qualquer coisa aparece uma mensagem: “Ocorreu um erro na publicação”. O mesmo acontece quando tento enviar novas imagens: “Falha no upload do arquivo”

Tudo isto sugere que existe algum problema com algum “link” interno, ou em alguma rotina associada ao meu “username” .

Agradeço se puder verificar.

-----------------------------

Prezado Sr.

Conforme verificamos, os endereços dos bloggers citados foram removidos por falta
de atualização, pedimos que crie novamente os endereços.

Agradecemos o seu contato e estamos à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Atenciosamente,
Diomedes Antonio Tedesco Júnior
Equipe de Atendimento Globo.com

-----------------------------

Podia responder que não é verdade. Com exceção do MatuMatu - que é um blog de botões/links - todas os outros tiveram posts publicados em prazo inferior ao divulgado. E mesmo o MatuMatu é editado constantemente para atualização dos botões. Também podia perguntar o que aconteceu com as trocentas imagens que mantinha hospedadas lá. Podia, mas não vou. Resolvi encerrar o papo por aqui.

Só estou novamente registrando o que pode acontecer com qualquer um que utiliza o serviço deles. Se bem que, com exceção do Ina, não vi ninguém muito preocupado. Pelo menos publicamente - num post.
Sem pobrema, não futuco muito por aí mesmo.

Não, não estou chateado. Acreditem, vou ficar se algum de vocês tiver o mesmo problema, e, apesar dos avisos, não providenciaram um backup do blog.

E já que estou nessa não custa lembrar que é interessante registrar (criar) o nome lógico do blog em outro serviço. Eu tinha o matusca.blogspot.com registrado. E, por isso, pude usar quando precisei.
E, claro, sempre manter o template atualizado e salvo no Bloco de Notas.

Essa lenga-lenga só mereceu uma edição extra d'O Sarcófago para mais tarde, quem sabe, servir de argumento quando eu for novamente expulso de algum lugar.
Ninguém quer múmia. Nem no inferno.

Atualização:

A Globo é a própria Lei de Murphy em ação.
Vejam o que está acontecendo com a Alessandra



O novo botão está aí, aproveitando que ela trocou o template.
E pediu para retirar o “link” do Amarula daquela terra salgada.

29 de janeiro de 2004

(8{> - Nota de cabeça:

O Sarcófago nº 2 estava quase pronto para ser enViado para as bancas quando de repente, não mais do que de repente, o Blogger.br resolveu caççar nossa licença de circulação. E não foi uma caçada assim bobinha não. Foi chumbo grosso mermo.
Os quatro blogs em meu nome naquele covil, foram mortos sem dó nem piedade:
O Sarcófago, o MatuMatu, o Flash Blog, e um blog teste de ferro.

O mais interessante é que consigo acessar a área de edição e os condenados do blogs estão lá. Com os templates vazios e nenhuma imagem nos posts.
E não adianta tentar criar um novo, alterar configurações, templates, o diabo a quatro. O sistema permite fazer tudo, menos publicar ou republicar qualquer coisa.

Chega! Não vou ficar aqui chorando outro blog derramado. Até porque quem conhece direitinho minha fome de postar (arre) sabe que é uma oportunidade tentadora.

Resolvi não poluir a revista nº 2 com esse lamento lamentável. Já ando de saco cheio dessas ziquiziras na rede. Só em janeiro o meu firewall segurou 42 tentativas de ataque. Na quarta passada, quatro “trojans” furaram o muro e ficaram aporrinhando. E por tabela me obrigam a aporrinhar o Fábio, The Man , meu amigo guru, de Noviorque.

É isso. Divirtam-se. E me digam uma coisa:
Estou realmente muito mumificado ou a rapaziada de hoje em dia é que mudou muito?
No meu tempo (hi) neguinho preferia pegar uma praia e “hackear” meninas.
Tá certo que nem existia Internet. Mas tenho certeza que, existindo, os meus amigos iam preferir trocar uns vírusinhos de outro jeito.
Tá faltando mulher, seus tocadores de... teclado?!



Não preciso dizer que O Sarcófago número 1 foi um sucesso de público(*). Até analfabeto leu e assinou. Incrusive muitos americanos que, mesmo só conhecendo o nosso método de ensino do português pelas digitais, gostaram tanto que um careca imoral, piloto perobo da AAA, foi preso com o dedo enfiado atrás do buraco do lapitope (dele), enquanto lia O Sarcófago no banheiro do aeroporto.

Apesar de ter chegado nas bancas só com o índice, neguinho leu o que não tinha pra ler e gostou do que não era pra gostar. Na mais fiel tradição desta MatuMatu Editora.
Fico muito agradecida pela calorosa recepção.

(*) Na seção "Horário Político Eleitoral" vocês vão descobrir que não é bem assim. Até chegarem lá vou aproveitando meus 15 minutos de fama.




(8{> - Trambiqueiros.

Os desgraçados dos spammers andam atacados. Agora estão enviando mensagens em massa. Quase todas no mesmo horário com nomes diferentes. Os nojentos estão passando das medidas. Bom, sabemos que é impossível existir um spammer dentro de alguma medida. Se tiver, é na que cabe nos frasquinhos que neguinho entrega pra fazer exame de parasitas.

Sei que não se deve passar recibo. Que seria suficiente deletar os spams dos cretinos, direto na caixa sem abrir, etc.
Só que o buraco anda mais embaixo. Alguns são simplesmente estelionatários.

No outro dia recebi um e-mail do "meu banco" sugerindo que em virtude de novas determinações do Banco Central, blá blá blá, eu teria que entrar no site informado e me recadastrar.
Seria até engraçado se não fosse perigoso. É claro que eu não cliquei no endereço do site e, imediatamente, telefonei para um analista do suporte técnico do banco verdadeiro. Tomaram providências, eu sei.

Não é importante fazer isso? É sim. E também é tentar descobrir como é que os picaretas sabem de qual banco nós somos clientes. Não é por espiritismo, tenho certeza.
Por isso, não considero paranóia ter vários e-mails e usar conforme o objetivo e interesse. E nunca, nunca mesmo, divulgar o endereço principal por aí. Só assim podemos manter um mínimo controle sobre o que nos mandam. Se eu não tivesse recebido a mensagem do "meu banco" numa caixa que não tem nada a ver, poderia, distraído, ter entrado no conto dos vigaristas.

Alguns spams até são enviados da terra de Marlboro, mas a maioria é de pindorama mesmo. "Trabalho" de uns poucos infelizes que usam nomes falsos para infernizar a vida dos outros oferecendo trambiques.
Não deixa de ser um estelionato (obtenção de vantagens em proveito próprio mediante fraude ou logro.)
O troço é tão louco que canso de receber spams de uma tal de (empresa?) "Jurisprudência e Legislação". Pode?

Então, olho vivo, Zeferinos, Ermelinas, ou qualquer outro nome de batismo que possam ter, seus muquiranas.
Fiquem sabendo que a Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática existe e até funciona direitinho.
Conhecem? Não? Vacilem, e ainda vão ter o prazer.




Nossa reportagem de capa é sobre um trambiqueiro americano (outro?) que num determinado momento, e, por algum tempo, conseguiu fazer grande parte da imprensa tupiniquim cair no conto do arqueólogo.

Publiquei este post em setembro de 2002. E pra quem está achando que O Sarcófago é uma revista muito nova para já sair publicando coisas velhas, eu lembro: a tumba velha continua abandonada lá no blig, correndo um enorme risco de desabar. E ainda tem muita tralha pra trazer pra cá.

Além do mais, nunca vejo ninguém reclamando quando a Veja, IstoÉ, Época, etc., estão sem assunto e ficam publicando reportagens sobre novas descobertas da medicina, e da cura do bicho-de-pé.

(8{> - Ânforas Fenícias de Olaria.

Trocando figurinhas sobre naufrágios com Cora, lembrei da história das ânforas fenícias na Baía da Guanabara:
Robert Marx, "arqueólogo"(1) americano, estava no Rio, com um equipamento muito sofisticado para busca de destroços no fundo do mar, quando foi informado que um mergulhador teria achado uma ânfora perto da Ilha do Governador. Um espertinho querendo enganar o gringo - no fechado círculo dos caçadores de tesouros, vale a máxima do lobo comendo lobo.

Marx tinha trazido o inventor do equipamento: o físico, ganhador do prêmio Nobel, Dr. Harold E. Edgerton(2) e o dono de uma empresa, que fabricava equipamentos para a marinha americana.
Fui convidado para um almoço com eles, na casa de um amigo. Marx chegou todo animado dizendo que tinha encontrado a tal ânfora.
Falamos que era muito pouco provável essa história ter algum fundamento e que ele deveria tomar muito cuidado antes de divulgar qualquer coisa. Fez tudo ao contrário: telefonou para o agente dele e no dia seguinte a história foi publicada num jornal americano - infelizmente, não lembro qual.

O pior é que se aproveitando da presença e do prestígio do Dr. Edgerton, ele conseguiu um aval do Smithsonian, provavelmente falso. Não sabíamos, então, que ele vivia da venda de artigos sobre descobertas importantes e de objetos de naufrágios, que retirava sem autorização dos governos locais.

Como era esperado, o negócio estourou aqui como uma bomba. Todos os jornais do Rio publicaram a notícia. No mais puro estilo Erik von Denniken(3), neguinho saiu escrevendo que finalmente havia provas que os fenícios haviam chegado ao Brasil antes dos portugueses e outras sandices.
A farsa durou pouco. Na verdade, um mergulhador brasileiro, das antigas, viu ânforas na Grécia e gostou muito. Fotografou e mandou uma olaria fazer réplicas. Depois, colocou algumas no fundo do mar para que ficassem com cracas e aspecto de vasos antigos. Ia usar mais tarde como objetos de decoração.

(1) Um caçador de tesouros e predador sem escrúpulos. Soubemos depois, que já havia sido proibido de entrar em alguns países (Portugal e Espanha, pelo menos) e, posteriormente, teve o visto caçado no Brasil, por se apropriar de alguns artefatos do "Hollandia" - nau holandesa naufragada em Salvador.

(2) Um velhinho muito simpático que entrou de gaiato na história. Ganhei dele um postal com a reprodução da conhecida fotografia da bala de fuzil, atravessando uma maçã (só possível, usando lâmpadas e lentes especiais que desenvolveu).

(3) (Eram os Deuses Astronautas?) - Picaretaço que fez fortuna, vendendo lixo para gente que adora interpretações mediúnicas de fatos históricos.
Versão dele para as erosões da Pedra da Gávea:
"thyro phenicia badezir primogênito de jeetbaal."
É mole?



Fotos tiradas pelo processo do Dr. Edgerton.



O abestalhado aqui ganhou um autógrafo do "arqueólogo" - antes de conhecê-lo melhor.
Só está guardado porque prezo muito minha coleção de "Sea Frontiers".
A tarja marrom é da censura militar (cáspite!).

Nota:

Na época, o Tom, comentou e explicou melhor o processo criado pelo Dr. Edgerton:

"Salve Matusca!

Caramba, vc conheceu o homem!

Os melhores sites sobre as fotografias do Edgerton estão aqui:
http://www.edgerton.org/exhibits.html
http://www-ceci.mit.edu/projects/edgerton/Edgework.html

Ele inventou a fotografia estroboscópica, de alta velocidade, ou seja: o obturador da câmera fica aberto, numa sala escura e é o intenso e milesimal piscar do flash que 'congela' a imagem. Ele criou o flash estroboscópico. O resto é uma câmera convencional num tripê e lentes normais.

Abraços,

Tom Taborda"

Levem fé, o homem sabe tudo.





Bomba! Bomba! Grande Furo do O Sarcófago.

Os caubóis finalmente prenderam Saddam.
Alguns motoristas de táxis cariocas continuam soltos.
Bin Laden também.



Suspeita-se, com alguma razão, que o ratão era mantido refém pelos seus próprios asseclas. E, por uma grana preta - provavelmente, novas identidades, etc. - foi entregue de bandeja para o "serviço de inteligência" americano.

Quem suspeita é porque só costuma ver os famosos serviços de inteligência usando o cérebro, no cinema.
Nunca é demais lembrar que eles gastaram milhões de dólares e precisaram de mais de trinta anos para se convencerem que Hitler estava morto.
Cansaram de cair em contos-do-paco soviéticos.

Não é nada que a gente se possa orgulhar, mas os agentes do famoso FBI - que vieram ao Rio para ajudar nas investigações do casal morto no Recreio - pagaram 100 doletas por uma corrida de táxi do aeroporto até Copacabana.
Pode ser folclore, mas já rola entre os taxistas cariocas uma historinha:
Os gringos reclamaram do preço da corrida, na recepção do hotel. Aí, o recepcionista perguntou:
- Os senhores não viram, no desembarque, as placas informando o preço de 60 reais dos táxis especiais?
Resposta:
- Vimos sim, mas estávamos com pressa e pegamos qualquer táxi na saída.

Cá entre nós: não é preciso ser nenhum espião para saber que numa terra estranha é altamente aconselhável perder uns 5 minutinhos para tentar descobrir o preço habitualmente cobrado por algum serviço.
Já armei um barraco com um motorista de táxi na Espanha que queria me depenar.
Rapidinho ele aceitou cobrar o que eu achei justo.

Tradução da notícia do Sarcófago nº 1:

Alô, meus amigos brasileiros.
Eu sou o Armin, o Carioca Alemão.
A notícia de hoje é que a Cristina foi fazer compras no Rio Sul e eu vim para a
tumba do Matusca para encher o saco dele.
A outra boa notícia é que eu aprendi a fazer uma boa caipirinha. Compramos a cachaça Magnífica, e fiquei tão craque no negócio que agora nem precisamos de limão e nem de açúcar.
Apareçam em Heidelberg. Eu faço questão de jogar vocês dentro do rio Neckar.
Feliz Ano Novo para todos.
Um abraço.
Armin.

Aviso aos navegantes:

A bóia número MB374, na entrada da Baía da Guanabara, encontra-se apagada.








O blog do mês é o Telhado de Vidro, da nossa Ofélia.
É sempre um prazer inenarrável constatar que apesar dos humoristas engraçados e desgraçados, que campeiam por aí, o nome Ofélia NÃO está indelevilmente associado ao crássico bordão: CALA ESSA BOCA, OFÉLIA!

Antes muito pelo contrário. É alvissareiro descobrir que ela criou um blog. Uma maneira deveras eficiente de só abrir a boca para escrever besteiras depois de muito Matutar. Coisa bem diferente do que acontece com certas revistas, que vão para as bancas sem qualquer revisão decente. E, claro, sem os sinais diacríticos corretamente colocados.

E o nome do blog? Perfeito. Só quem tem o péssimo hábito de jogar pedras nos blogs dos outros pode dar o merecido valor a um nome tão adequado e impertinente.

Vida longa ao Telhado de Vidro! Se a minha revista não emplacar já posso arrumar outra viração. E só vou sugerir qual poderá ser:
Manjam aquela história de borracheiros que espalham pregos pela rua pra faturar mais algum?
Pois é!




Atendendo aos insistentes pedidos do meu neto virtual, o Stanley - Anjo Protetor da Vila Mimosa - vou deixar a Zilda Meigaflores republicar no Sarcófago, a primeira nota social dela aqui no Matusca.
Na época, o próprio Stanley confessou que nunca mais a avó dele pode comer o mingau de sagu dela (véia) em paz.

@:-0 - Boca de Siri.

Não queria inaugurar este espaço, gentilmente cedido pelo senhor Matusca, fazendo fofocas. Mas, soubemos que a nossa emergente-mor e o nosso mais famoso decorador estão novamente brigados.
O motivo foi a divulgação da receita de caviar, uma tradição de família, exclusivíssima, que a padeira usa para servir nos seus rega-bofes.
Sinto muito querida, mas como decorador deu o furo pra todo mundo, acho que posso fazer o mesmo.

Caviar Verruga:

Ingredientes
Um pacotinho de sagu
Leite
Aliche, bem salgadinho
Anilina marrom para bolo
Vinagre balsâmico (ou vinagre comum com açúcar mascavo)
Latinhas (pode ser de pastilha Valda) bem lavadas e sem os rótulos

Preparo
Cozinhe o sagu no leite.
Quando as bolinhas ficarem bem brilhantes, separe.
Desmanche bem o aliche no vinagre balsâmico
Misture as bolinhas de sagu com o aliche
Coloque anilina até ficar com a cor desejada - marrom titicaca
Espalhe pelas latinhas e guarde o caviar no congelador.

Se quiser um melhor tingimento e ainda acrescentar um gostinho melhor de frutos-do-mar, compre lulas e use a tinta do animal.

Se pessoas que conhecem o caviar verdadeiro estranharem o sabor e o tamanho das ovas, faça como La Boyola. Diga que é de uma espécie iraniana muito especial, o "Esturjão das Grandes Verrugas"

Ademan que vou em frente.
Emergente também é gente.










Como todos sabem, aqui é o local e a hora de falarmos a verdade, nada mais que a verdade, doa a quem doer.

Fala aí meu louro!

"Chico Bastos @ 09/01/04 01:18
Quantos comentários. Quando passei de 10 fiquei tão feliz e entro aqui e vejo quase 200. Estou me sentindo tão prematuro quanto Tucancâmon como Faraó! De qualquer forma, parabéns pelo Sarcófago! Eu me amarro em mídia alternativa. A propósito, eu também mantenho uma "revista-blog" em que publico alguns artigos do estilo "observando o mundo". Sinta-se convidado. Abração!"
Chico Bastos

O Chico não é o primeiro e nem vai ser o último espantado com o número de comentários no Sarcófago. Percebo que esse troço inibe muita gente.
Muito bem, vamos dissecar essa múmia sem anestesia:

Mais de 800 comentários?
Não contei quantas pessoas diferentes contribuíram para esse número - sou maluco, mas não rasgo tempo. Quem conhece sabe que podemos separar marromenos assim:
Matusca = 49.5%
Amigo de Fé = 25%
Irmão Camarada = 35% (oldaliscas, cuecas, morcegos, netos virtuais e sobrinhas reais)
Visitante Normal = 5%
Palpiteira = 0.25%
Por favor, verifiquem se está errado. Qualquer coisa é só ligar pra Noviorque e falar com o Caryorker. Se passou de 100 é que ultimamente ando igual ao Seu Coisa - me transbordando.

Obs. A Palpiteira ameaçou só voltar no próximo século. Pra quem só dá palpite até que tá de bom tamanho.

- Quantos blogs vocês conhecem, que o dono, na maior cara-de-pau, diz que vai postar (uia) uma vez por mês?
- Quantos espaços de comentários por aí, funcionam quase como um ICQ local?
- Além dos doidos profissionais, quantas pessoas vocês conhecem que não dormem direito enquanto não enfiam o dedo na tomada?
Felizmente essas coisas acontecem aqui. Tentando justificar essa anomalia anormal já até inventei o Flash Blog. E com ele consegui comprovar minha não tese:
A rede é um lugar ótimo para se falar sério. Melhor ainda pra se divertir.

Aproveito para lembrar que O Sarcófago não tem Site Meter, Fast Online Users, Nedstat, nem qualquer outra estatística ou meio de saber quantos mastusquelas estão aqui, de onde vieram ou pra onde vão.
Você pode ler o tempo que quiser. Pode não ler nada. Pode sair daqui direto prum site com técnicas de cremação. Não tenho nada com isso. Tenho menos o que fazer do que ficar seguindo visitantes por aí.

Quem ficar inibido, não tá com saco pra ler e muito menos escrever; e ainda assim não quer perder a viagem. Se quiser deixar algum comentário, pode copiar e colar o modelo abaixo:

nome: xxx - o sistema exige, mas aceita mentira.
email : Não é necessário - tem um spammer cretino que assina o Sarcófago.
www: xxx.caradepau.com

comentário:

Oi! Passei rapidinho e não tive tempo pra ler.
Depois volto.
Me visite, tá?




Vai na paz de Maat, mermão!

Sisquici do mais importante: Procurem por aí um blog no qual o dono tenha instalado um novo sistema de comentários e deixou o outro funcionando somente para não perder os comentários antigos. Acharam? Muitos, certo?

Em quantos deles os loucos ficaram divididos e iniciaram uma disputa entre a caixa da esquerda e da direita festivas? Nenhum, claro.

E se eu entregasse que no Sarcófago neguinho até criou partidos? Iam achar que comi sabonete?
Pois aí estão. Até bandeiras pediram:

CAS - Com o Abutre Soluçante:



PEB - Partido das Emergentes Brasileiras:



Aviso: Nenhum animal sofreu maus tratos neste horário político gratuito.
O abutre do CAS já estava morto, e a pele de onça da bandeira do PEB é fajuta, claro.

O Homem-Chavão ia adorar esse horário político.





Compra-se uma paca fêmea, por bom preço, à rua Desembargador Isidro, 123. Tijuca.
JB, 23/11/1923

Precisa-se de um empregado entendido em frutas, à Rua Assis Carneiro, 450, na Estação da Piedade.
JB, 16/11/1923

Perfumes não encobrem o mau cheiro do suor.
Magic, preparado aconselhado por médicos, é o único que elimina o fedor dos sovacos, com apenas duas aplicações por semana
JB, 04/01/1924.

Cinemas:

Melindrosas e almofadinhas que desconhecem o shimmy: em Jazzmania, na tela do Ideal, a divina Mae Murray ensina os tremeliques dessa sensacional variante do fox-trot.
JB, 10/10/1923

Nota Social:

Atendendo aos inúmeros pedidos, O Sarcófago vai aceitar notas e avisos de passamentos:
Quem quiser pagar para apagar véinhas neste espaço, entre em contato com O Dr. Edson K, chefe do DPPD. Se ele demorar a atender é porque modificaram outra vez o sistema de bloqueio no escritório dele.
E se alguém responder falando de Bangu 1, é bandidagem. O Escritório dele é em Bangu 3.

Fevereiro:

Dia 3 - Cecéu
Tema da Festa: Sou Doida Mas NÃO Tenho Blog.

Dia 9 - Suzi
Tema da festa: A Máfia do Yakult.
Deixe o seu dedo mindinho em casa.
Convidado de Honra: ??? Noffa!
E ele que não me traga outro presente daqueles.

Dia 11 - Kel
Tema da festa: Os Loucos Anos Vinte ou Os Vinte Anos Loucos.
Os coleguinhas nem vão precisar comprar fantasias. É só dar uma geral no guarda-vestido.

Dia 12 - Funny
Tema da festa: Comi o pato e mergulhei com os pés dele.
Entenderam? Não? Nem eu.
Pior que ela gostou.

Dia 16 - Fal
Tema da festa: Espera em pé, caduco. Uia!

Nota de pé:

O Morceguinho que tá avoando pelas mesas da redação é quem vocês estão pensando mermo. O Morcego Herói.
Foi ele quem fez essa porcaria preta que está sacudindo por aí. Nós só trocamos o fundo que estava meio sujo.

E nem adianta pedir pra mãe virtual dele dar um jeito no peste.
É uma Banana & Etc.


1 de janeiro de 2004

(8{> - UFA! - (01/02/2004)

Fiz um sacrifício danado para trazer o Sarcófago Nº 1 pra cá.
Refiz imagens. Enviei todos os arquivos para o novo hospedeiro de pragas e, principalmente, furei o bloqueio dos cães do blogger.br só para recuperar alguns links. Entonces, não acho nada demais pedir para que vocês comentem outra vez.

Não lembro exatamente quantos comentários foram. Acho que uns seiscentos e poucos no Falou & Disse, e duzentos e qualquer coisa no Abutre Soluçante.
Também não lembro o que vocês falaram e nem o que eu respondi.

Sei que é duro, então, fica combinado assim:
Quem eu pegar lendo outra vez tem que comentar dinovo. Os outros estão dispensados.


(8{> - Veja, IstoÉ picaretagem.

O Sarcófago - Ano I - Nº 1.

Tomei uma decisão.
Para o bem estar de todos e felicidade geral danação bloguenta, O Sarcófago passa a ser uma publicação mensal

Inicialmente pensei em publicar no primeiro dia de cada ano, porém, sou forçado a admitir que vocês poderiam me esquecer. Não quero ter o mesmo destino da folhinha do Sagrado Coração ou do Almanaque Capivarol.

Então, a revista "O Sarcófago" vai estar na banca no dia primeiro de cada mês. Mais tardar no dia 30, se o hospedeiro ficar muito incomodado com a praga.

Se a Veja, a IstoÉ, e outras menos votadas, podem ser semanais, por que "O Sarcófago" que, modéstia dentro é bem melhor, não pode ser mensal? Afinal, a Veja só tem 900 mil assinantes. Aqui também vai ser assim: só vai poder ler quem é assinante. Os outros, infelizmente, só vão poder ver as figurinhas.

É claro que a qualquer momento posso publicar uma edição extra.
Sei lá, vai que o ACM abotoe. Neguinho vai querer conhecer todos os detalhes do fechamento da Associação Cristã de Moços. Eu não ia poder deixar de meter o bedelho num furo desses. Também é claro, que o papo nos comentários vai continuar diário.

Não preciso que ninguém venha aqui com cascatas do tipo: Pô Múmia, que pena, vamos sentir tanta falta.
Sei muito bem que neguinho tá dando mais pulinhos de alegria do que a Chita, quando vê o Tarzan com a banana e o saco presos no cipó

Vamos ao número 1:



Por problemas ocorridos no fechamento desta edição - ressaca do editor - o primeiro número da revista "O Sarcófago" está sendo entregue só com o índice.
Como é uma edição histórica, mesmo depois de publicada, será atualizada direto nas bancas.

O Editor.



Só publicado agora porque, bêbado, o editor fica um cabotino melhor.

(8{> - Eu tenho um blog.

Não é dele que eu tiro o meu sustento. Nunca vou tirar. É um passatempo. Uma diversão, sem maiores pretensões.

Não disputo patrocinador com ninguém. Não necessito de financiamento público ou privado para nada. E muito menos recursos de qualquer lei de incentivo ao que quer que seja.
No blog, eu não vendo, não compro, não recebo, e nem pago nada.

Como qualquer pessoa normal, ao longo da vida, tive fases. Poeta, fotógrafo, compositor, escritor, desenhista, crítico, jornalista, etc.
Um amador, curioso de muitas coisas.

O blog permite tirar tudo isso da gaveta. Os velhos álbuns, os cadernos velhos e os guardados da velha cabeça.
Melhor, tenho até os meus fiéis dezessete leitores de praxe.

O que eu não sabia é que isso incomoda tanta gente importante.
Gente que circula na chamada grande mídia e que anda criticando os blogs com uma virulência espantosa e até mesmo suspeita.
Geralmente pessoas que consideramos inteligentes e com muitos anos de estrada. Algumas até com obras interessantes, e "realmente" publicadas - livros, filmes, etc. - na bagagem.

Além da idade - normalmente mais de cinqüenta anos - tentei descobrir o que mais eles têm em comum.
Tenho algumas suspeitas:
Alguns não são mais profissionais da área em que são especialistas. Aparentemente, em algum momento, perderam o bonde certo.
Por exemplo: um cineasta que virou palpiteiro profissional.

É óbvio que de um bonde errado eles ainda não desceram: O de achar que blogs são diários de adolescentes. Ou como jornais e revistas, possuem pautas e uma linha editorial presumida.

Sou capaz de apostar que têm mais em comum mesmo é a dificuldade para usar um computador. Imagino que alguns até possuam alguma habilidade no uso de um editor de texto. O que presumo incontornável é a dificuldade para salvar um arquivo no lugar certo. Encontrá-lo depois, nem pensar.
Não fosse assim, saberiam que é a blogosfera não permite generalizações e muito menos colocar os milhares de blogs diferentes num pequeno saco mental.

O que esperar de gente que é capaz de barbaridades do tipo: "Se quiser enviar sua opinião, entre no nosso site: fulano@.com".

Nos blogs já li boas e más notícias em primeira mão. Já dei boas gargalhadas. Já descobri, com o coração apertado, mãe falando da morte do filho e filha falando da morte do pai. Já até perdi um amigo, que só é virtual agora, infelizmente. Principalmente, conheci ótimas pessoas e aprendi muito de muita coisa.
Enfim, PARTICIPO.

Todos sabem que existem blogs que não recebem nenhum comentário há meses. E mesmo assim estão lá, firmes.
O que essa gente toda está fazendo? Botando o ego para apanhar? Claro que não.

Também é claro que os blogs podem e devem ser criticados. É aquela velha história: Ninguém precisa ser diretor de cinema para criticar um filme. Basta assistir com a mente livre de preconceitos. Para criticar os blogs, o mínimo necessário é saber navegar na rede. Ou pelo menos conhecer a diferença entre um endereço de e-mail e de um site.

Iam descobrir que até existem blogueiros que também desancam outros blogueiros. Aqui, um pouco mais de atenção: Estes pensam que um dia, serão amadores sindicalizados.

Critiquem este texto com um pouco do muito carinho que recebo dos meus amigos blogueiros. Eles sabem que eu não escrevo muito bem.
Comecei pior. Nos blogs, sigo aprendendo com quem sabe mais.
E são muitos.



Tá chovendo.

EXTRA! EXTRA! EXTRA!

O Sarcófago foi atualizado nas bancas.
A partir de agora conta com um sistema de comentários especialmente desenvolvido para os nossos leitores.
Um presente do Fábio, The Man, direto de Noviorque.
Só ele mesmo para aceitar o Matusquinha fazendo besteiras diárias no sistema.
Obrigado, meu amigo.

Obs. O Abutre Soluçante continua na revista para não perdermos os excelentes e pertinentes comentários anteriores dos nossos fiéis leitores.



Hallo meine brasilianischen Freunde,
Ich bin Armin, Carioca Deutscher.
Die heutige Nachricht ist , dass Cristina heute im Rio Sul einkaufen ist und ich zum Grab des Matuschka gehe um seinen Sack aufzublasen.
Die zweite gute Nachricht ist, dass ich lernen werde eine guten Caipirinha zu machen.
Wir werden Cachaça Grossartrig kaufen und so werde ich ein Krack der manchmal weder Limão noch Zucker braucht.
Kommt alle nach Heidelberg. Ich werde Euch alle in den Neckar werfen.
Ein glueckliches neues Jahr fuer Euch alle.
Alles Gute.
Armin

Atenção! Atenção!

Cuidem-se, oldaliscas, a nova geração está chegando.
Nasceu a Sofia, a mais nova odalisquinha do pedaço.



É claro que eu só publiquei aqui depois que a Neu publicou lá.
Já pensou ser tachado de assustófilo.



Blog do Carioca Alemão

Hórus é testemunha:
Eu nunca pedi caridade pra blog nenhum.
Até porque não fica nada bem blog pedindo esmola, como qualquer Saddam da vida querendo sair do buraco.
O que eu quero propor é meio assim uma brincanagem com um amigo.

Saquié: tenho um amigo alemão, o Armin, de Heidelberg, que desde o ano passado se amarrou nos blogs e pediu que eu fizesse um pra ele.
Quando está no Rio - como agora - o cara gosta de falar português. Depois, quando volta pra casa, esquece quase tudo o que aprendeu. Ele acha que o blog pode servir para treinar o português - a língua - enquanto estiver na Alemanha.
O problema é que além da língua portuguesa o cara também tem dificuldades no uso do blogger. Vai sobrar pra mim.

Então a proposta é a seguinte: Passem por lá, e deixem comentários num português bem molinho. Algo assim: E aí, Armin, tudo certinho? Já aprendeu que o sol daqui frita tatuí? Tá descascando no peito do pé outra vez?
E por aí vai.

Posso garantir que ele vai gostar muito. O chucrute vem pra cá todo final de ano e acha que já é carioca da clara. Comprou uma rede de vôlei, trouxe algumas bolas e fica convidando todo mundo pra jogar na praia.
Ah, é torcedor do Flamengo. Claro.



De férias.
------------------------

Voltei a tempo de defender um troco no Sarcófago nº1.



Nunca consegui entender os motivos do caduco para viver perseguindo os moradores da Barra. Deve ser porque o coitado mora aqui, mas é duro. Durinho até os ossos, como todos sabem.
Vive chamando isso aqui de Terra do Nunca. Diz que está infestado de bicho-de-goiaba, e, não satisfeito, colocou nossa emergente-mor, La Boyola, como flanelinha num estacionamento.
Ora, até aí eu fui - como disse o nosso querido prêmio Nobel chinês, José Chá Amargo.
Duro mesmo foi ele pegar uma foto minha, antes das 17 intervenções plásticas, e publicar como se fosse da nossa maior draga queen.

Tentou justificar dizendo que somos parecidas: usamos o mesmo descolorante, a mesma saia pele-de-onça, laço rosa na cabeça, sombra azul, essas coisas.
Admito que todas nós somos parecidas, até nos gestos, mas ele exagera. Precisava perguntar, toda vez que eu pego na xícara, se vou tirar meleca enquanto tomo café? Ele já devia saber que o dedo mindinho duro é uma coisa que a gente não consegue controlar.

Pois bem, a vingança vem aí. Depois da Estátua da Liberdade, da Torre Eiffel, da Torre de Pisa e de outras maravilhas arquitetônicas do nosso bairro; uma construtora vai lançar um condomínio no estilo francês mediterrâneo alpino. Saca o nome: Le Parc Residencial Resort. E, sorri periferia: vai ter uma pirâmide de vidro enorme, quase do tamanho da entrada do Museu do Louvre.
Em segundíssima mão, a foto da maquete pra vocês:



Já sei que quando a múmia acordar vai me tascar um monte de maldições e até ameaçar esconder os meus cílios postiços outra vez.
Dane-se, agora quero ver se ele vai resistir ao apelo cultural Barra/França/Egito/Zeferino Construtora bem na cara dele.

Ademan que vou em frente
Emergente também é gente.







Nenhum anunciante. Ainda.
-----------------------------
Num falei?
Apareceram os primeiros anunciantes:

Urgente
Alugo um marido por trinta dias.
Em bom estado de conservação.
Entre outras vantagens - Ele ainda sai de casa para ir ao banco.

Cartas para Dona Intuição.
Não serve enviar proposta via e-mail. Estou alugando o sujeito exatamente por não poder usar a Internet enquanto ele está em casa, de férias.
Vai ser difícil, mas tenho esperança e fé em Amon.

Lançado o cartão Escaravelho Card:

Uma grande idéia do nosso funcionário padrão, Edson K, do DPPD (Departamento de Publicidade e Picaretagens Diversas).



Nosso slogan é: "NÂO PAGUE NADA COM ELE"

Principalmente um lanchinho da tarde, que custou perto de 200 real no Garcia & Rodrigues.
Você não come nada, e sai com a impressão que pagou para ver a Luana Piovani, Deborah Evelyn, Renata Sorrah, Rossane Goffman, Renata Celibeli, Dennis Carvalho e outras celeridades globais menos votadas - nem sei se os nomes estão registrados corretamente.

E eu que achava que ver os condenados nas novelas era o maior sacrifício a que seria submetido.



Este suplemento especial do Sarcófago é para lembrar que o Flash Blog vai emplacar 2004 firme, forte e com as pernas bambas.

O pessoal novo não deixa a peteca cair. Já os velhos flashbloguentos - inclusive este que vos late - andam meio sumidos da festa.
Pô, qualé, que passa!?

O 18º Flash Blog vai acontecer no dia 23/01, a partir das 24:00, no Anjo Azul.





O cartaz da festa foi feito pelo Morceguinho Herói.