5 de setembro de 2002

(8{> - Tatuí nº 2706091975

Amanhã vou viajar para o Ceará. Não pensem que é vagabundagem. Vou até Jericoacoara tentar encontrar um tatuí que soltei semana passada, na praia da Barra da Tijuca. Se for necessário, faço uma busca também em Canoa Quebrada.
Vou aproveitar para carenar o meu casco. Ando com o tombadilho rangendo, o gurupés fora de prumo e a cana-de-leme emperrada.

Blog Cine Fest

Com medo de ser esfaqueado pelo júri do Blog Cine Fest, que está rolando no gramado da Cora, deixo uma cópia do meu filme Matusalém & Matusca (podem ir lá ver que é de graça, seus muquiranas) que está concorrendo ao troféu “Bloguito de Ouro”, na categoria terrorismo.
Pelo cartaz, já dá pra perceber que sou forte concorrente ao galardão de defeitos especiais.
Façam seus filmes: Basta uma câmera na mão e nada na cabeça.

4 de setembro de 2002

(8{> - Meg

Como havia prometido, queria oferecer um presente exclusivo para a Meg. Teria quer ser algo muito especial. Procurei em várias “lojas” da net e nada.
Até que lembrei do
Siron Franco - meu pintor favorito. Ele tem um site muito bom e lá encontrei esta Madona.



Claro que a reprodução de um quadro, encontrado no site de um artista, não é bem uma exclusividade, mas acho que a Meg entende. Não é Meg?

3 de setembro de 2002

(8{> - Lombrigando

“Cópia de um Termo de Anatomia sobre um gênero de bicho que expulsou um preto que vinha embarcado em a Nau Santa Maria a Maior.

Eu, desembargador Nunes Guedelha, e o Capitão-de-Mar-e-Guerra Manuel Francisco Vieira, abaixo assinados, certificamos que em 29 de Agosto de 1699 anos, faleceu um preto boçal (1), de maior idade, o qual havia dez ou doze dias tinha lançado pela via natural um bicho por modo de lombriga na grossura, que teria de comprimento mais de vinte ou trinta braças (2), de cor branca tirando para a amarela e de milho, com seus nós miúdos, por modo de nós, que se acham em algumas minhocas grandes. Ao cujo preto mandando abrir pelo cirurgião da nau, em presença do Dr. José Ruiz de Carvalho e José Vieira, também cirurgião, abaixo assinados, acharam que os fígados estavam tórridos e consumptos, com menos de sua grandeza, azulados e todos em manchas, requeimados, os bofes bons, as tripas em seu ser natural, sem haver tumefacção ou sezão. De que se fez este termo que todos assinaram.”
(Naufrágios, Viagens, Fantasias & Batalhas - João Palma-Ferreira)

(1) Boçal - Dizia-se do escravo recém-chegado da África.
(2) Braça (mar.) - Medida correspondente ao comprimento de dois braços abertos (2,2 m).

2 de setembro de 2002

(8{> - Matusalém Paraguaio

Sempre tive medo de buscar por “matusalém” no Google. Parece que sabia o que estava reservado pra mim. Não deu outra. Entre tantas porcarias, olha o abestalhado que encontrei, fingindo ser o Matusalém verdadeiro.

“Bem Vindos à Casa de Matusalém!!! Este é o tão famoso Velho Sábio Matusalém. Conhecido pela sua grandiósa sabedoria, e por suas perigrinações pela Internet, este simpático Senhor tornou-se uma das personalidades mais famosas dos canais e salas de Chat. Um dos pioneiros no IRC. O Sábio pode ser encontrado compartilhando a sabedoria de seus + ou - 4.000 aninhos de vida nos canais do IRC.” -------------------

Bom, antes de mais nada, não existe cristão, judeu ou muçulmano que me faça colocar um link para o condenado. Também não ligo para a sua “grandiósa” sabedoria e nem por suas “perigrinações” pela Internet. Nisso somos parecidos - assassinar português é um esporte que também pratico. O que me irrita é o roubo da imagem. Pra conferir se é um Matusca falso, nem precisa sacudir e olhar para a espuma. Aqui vão algumas diferenças importantes:
- Também teclo com dois dedos, mas uso o indicador e o polegar da mão esquerda;
- Não pinto o cabelo, muito menos com duas cores. “Acaju” (ou sei lá que bosta de cor é essa) e branco. Parece um guaxinim de ressaca;
- Uso óculos, mas não esse de guia de cego que ele usa - paraguaio mesmo;
- Nunca vão me ver usando um micro, com um cara de crachá, em pé, atrás de mim. Detesto esses caras que filam o jornal, por cima do teu ombro;
- Apesar de morar na Barra da Tijuca, não uso relógio paraguaio dourado no pulso - aqui já existe muita coisa falsa;
Por último e muito importante. Sou múmia macho, jamais usaria um anel no dedo mindinho.